quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

A GhostNet

GhostNet é o nome dado pelos pesquisadores do Information Warfare Monitor, uma iniciativa privada de pesquisa avançada de rastreio do ciberespaço como domínio estratégico para o desenvolvimento de conflitos (guerra cibernética) e ou actividades criminosas.
O nome GhostNet serviu portanto para dar o nome a uma operação de espionagem em grande escala descoberta em Março de 2009. O comando e controlo da infra-estrutura está baseada principalmente na República Popular da China, tendo-se infiltrado em locais informáticos de 103 países, locais esses de grande valor político e económico, comprometendo também a segurança de vários meios de comunicação, como sejam os sistemas informáticos pertencentes a embaixadas, ministérios dos Negócios Estrangeiros e outros escritórios de governos e instituições privadas como os centros tibetanos afectos ao Dalai Lama. Embora a actividade se baseia principalmente na China, não há provas conclusivas de que o governo chinês esteja de alguma forma envolvido nas suas operações.
GhostNet foi descoberto e ganhou o seu nome na sequência de uma investigação de 10 meses realizada pelos investigadores do Monitor Infowar (SIGs), em que também participaram investigadores portugueses, da empresa Trusted Technologies, realizada depois de os investigadores do IWM, terem contactado o representante do Dalai Lama, em Genebra, suspeitando que a sua rede de computadores tinha sido infiltrada.
Os sistemas afectados foram descobertos nas embaixadas da Índia, Coreia do Sul, Indonésia, Roménia, Chipre, Malta, Tailândia, Taiwan, Portugal, Alemanha e Paquistão e no escritório do primeiro-ministro do Laos. Os Ministérios das Relações Exteriores do Irão, Bangladesh, Letónia, Indonésia, Filipinas, Brunei, Butão Barbados também foram alvo de intrusões. No caso de Portugal os investigadores descobriram uma série de documentação oriunda do Ministério da Justiça e de outros sistemas.

Pode aceder ao excelente site da Trusted Technologies aqui!

@protejaintenet

Nenhum comentário:

Postar um comentário