quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Estudo Europeu sobre Segurança da Internet

Estudo europeu realizado online pela Microsoft através do portal MSN salienta novos riscos para adolescentes num mundo de redes sociais. Quase metade dos pais inquiridos (45%) tem conhecimentos parcos ou nulos das temáticas ligadas à web e 61% não toma qualquer medida para controlar actividades dos filhos online.

Principais conclusões para Portugal:
•68% dos adolescentes em Portugal usam activamente sites de redes sociais.
•39% dos adolescentes consideram que é seguro publicar informações pessoais online.
•Quase um quarto (23%) dos adolescentes em Portugal divulga o nome da escola que frequenta em perfis pessoais online e mais de um em cada oito publica a morada de casa.
•Quase dois terços (68%) dos adolescentes em Portugal foram já contactados por um estranho através da Internet e metade (49%) respondeu por curiosidade.
•Dois terços (61%) dos adolescentes afirmam que os seus pais não fazem nada para limitar ou controlar a sua utilização da Internet e 39% dos pais em toda a Europa admitem que não supervisionam as actividades dos seus filhos online nem o que publicam na Internet.
•45% dos jovens portugueses indicam que os pais têm conhecimentos muito limitados, ou mesmo nulos dos temas ligados à Internet.
•Apenas metade dos pais Portugueses (52%) admite controlar os movimentos online dos seus filhos, embora 69% manifeste confiança de que os seus filhos tomam as precauções necessárias.

Este estudo, foi ontem comentado no Jornal das 10 no Canal 2, por um responsável da UMIC, como sempre e para não variar, o estudo foi desvalorizado, porque a sua base é ínfima, ao que se sabe foi efectuado apenas a 100 pessoas, o que torna díficil, segundo o senhor da UMIC, fazer estas extrapolações.
É possível, que o estudo careça de uma melhor base científica, no entanto visto que não existe nenhum outro estudo disponível, porque ninguém em Portugal, exceptuando meia dúzia de pessoas empenhadas como é o caso deste blogue, tem acompanhado esta temática com a devida atenção que ela merece.
Posso afirmar que quando se fizer um estudo mais abrangente, os resultados se não forem mais ou menos iguais a este da Microsoft, serão seguramente ainda piores.

@protejainternet

Nenhum comentário:

Postar um comentário