segunda-feira, 31 de maio de 2010

Google Chrome



Chrome é um navegador desenvolvido pela Google e baseado no layout estrutura do aplicativo WebKit. Foi lançado como versão beta para o Microsoft Windows em 2 de Setembro de 2008. O lançamento público da versão estável foi em 11 de Dezembro de 2008. Chromium é o projecto de código aberto por detrás do Google Chrome.
É actualmente tido como o browser mais seguro e mais rápido à disposição dos utilizadores da Internet, por consequência, iniciamos hoje o primeiro artigo sobre este browser.
Hoje veremos como instalar o Chrome!

1 - Digite o endereço www.google.com/chrome (1), no seu browser e clique tecla [ENTER].


2 - Depois de aceder à página, procure a caixa para efectuar a descarga da aplicação (1) e clique na opção indicada (2).


3 - O passo seguinte revela-nos os Termos de Utilização (1), de seguida clique pode optar por enviar dados estatísticos sobre o browser (2), para continuar clique na opção indicada (3).


4 - O browser inicia então a sua instalação.


5 - Na caixa seguinte pode definir o Chrme como o seu navegador padrão (1), de seguida clique na opção indicada (2).



6 - O Chrome está instalado e o seu ícone deverá aparecer no ambiente de trabalho do seu computador.


@protejainternet

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Regras de Segurança em Redes Sociais


As regras que devemos implementar em relação à utilização das redes sociais passam essencialmente pelo cuidado a ter com dados e informações pessoais, com a publicação de fotografias e com cuidados a ter na aceitação de pedidos de amizade. Estas regras podem aplicar-se de igual modo a toda a nossa utilização das várias aplicações existentes na Internet e até à própria utilização da Internet em sentido mais lato.

Regras essenciais.

1. Sempre que isso seja possível, torne o seu perfil privado.
2. Nunca divulgue dados pessoais como, morada, número telefone, endereço de correio electrónico, local de emprego, escola, localidade, excepto se a conta for institucional, ou seja se tiver uma conta da empresa ou de um serviço, mas ainda assim, seja criterioso na publicação dessa informação.
3. Nunca divulgue informações pessoais como, dias em que vai de férias, dias em que se ausenta de férias ou por outros motivos, se desejar mesmo informar os outros, faça-o sempre à posteriori, ou seja depois de ter ido.
4. Tenha cuidado com as fotografias que publica.
5. Evite publicar fotos e ou vídeos dos seus filhos.
6. Visite com frequência as contas dos seus filhos para verificar os amigos e as fotos que eles publicam.
7. Não aceite convites de amizade por tudo e por nada.
8. Tenha cuidado com links que recebe em mensagens nas redes sociais.
9. Tenha atenção quando se associa a determinados grupos, pondere sempre as implicações que os conteúdos desses grupos possam ter.
10. Utilize as ferramentas de privacidade que as aplicações fornecem.
11. Seja activo na sua segurança, divulgue as regras, intervenha junto dos seus amigos.
12. Leve a questão da privacidade e da segurança muito a sério!


@protejainternet

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Privacidade e Segurança Online. Quês e Porquês!



Vamos partir do princípio que os utilizadores das redes sociais são todos ciber-competentes, ou seja que todos possuem elevadas competências ao nível dos conhecimentos das tecnologias informáticas, que possuem conhecimentos de como agir e de como comportar-se neste mundo que apesar de virtual, traz por vezes complicações muito reais, ora neste mundo utópico de competências, existiriam sempre problemas de segurança, agora imaginem a realidade que é bem diferente e em que o denominador mais forte é ao invés a ciber-iliteracia, onde o normal são os fracos conhecimentos informáticos, e as quase nulas cautelas e o não cumprimento das mais elementares regras de segurança.
Analisemos primeiro o comportamento dos adultos! É impressionante a displicência, que toma conta de quem coloca coisas online nas redes sociais, neste campo os adultos revelam a mesma falta de alcance que os mais novos. Um exemplo prático, se eu publicar no Facebook que sábado dia 22 vou visitar Paris, e se ademais na minha página constar o meu nome, a escola onde andei, o meu endereço de correio electrónico e a povoação onde resido, esse será um passo importante para que a minha casa possa ser assaltada, importa pois ser muito criterioso com aquilo que se publica tendo a noção que o mundo está a ver.
Publicar fotografias dos seus filhos, é também de todo desaconselhável, por muito orgulho que tenha neles e por muito que ache que a sua beleza deva ser colocada na Internet, deve ter em conta que as redes sociais são efectivamente antros de pedófilos e de tarados de todo o tipo, sabendo-se que o rapto encomendado de crianças é uma prática comum, é muito importante que os adultos percebam, que por entre os coelhinhos, as galinhas e as ovelhinhas se escondem muitos lobos, leões e abutres.
Uma outra questão é a publicação de material protegido por direitos de autor, muitas vezes vídeos retirados do youtube ou de aplicações semelhantes, importa ter presente que, se por enquanto a “caça” aos divulgadores de material protegido por direitos de autor, é ainda uma actividade tímida e de fraco alcance, o futuro pode reservar algumas surpresas, que no caso irão ao bolso, na forma de coimas, dos prevaricadores.
Analisemos agora os comportamentos das crianças e adolescentes! Pois é mais do que claro que com tão excelentes exemplos dados pelos adultos, a miudagem se comporte com a mais absoluta despreocupação, ele é fotos em biquini, em poses de diva de cinema, ele é números de telemóvel, moradas e endereços da escola, fotos da família toda com o cão incluído, dias em que não estão em casa, onde é que moram, onde vão de férias, enfim, é um nunca mais acabar de disparates, que é bom que também se diga, poderão nunca trazer nenhum dissabor, mas que podem efectivamente propiciar actos menos lícitos, neste mundo inquietante e maravilhoso que é a Internet e mais concretamente as Redes Sociais. Num próximo artigo sintetizaremos os conselhos de utilização das Redes Sociais.

@protejainternet

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Privacidade e Segurança online!



Uma das muitas críticas que se pode fazer ao actual estado da Internet, tem que ver com a privacidade, mais propriamente sobre a invasão dessa privacidade por pessoas que não conhecemos e cujas intenções não serão de todo as melhores.
As aplicações do tipo rede social, Myspace, Hi5, Facebook e quejandos, trouxeram a este mundo novo da comunicação, uma capacidade fantástica de comunicação e ou de pura perda de tempo consoante se perspective essa utilização, sendo que ambas são verdadeiras, porque se hoje as aplicações de correio electrónico e mensageiro, aproximam as pessoas e facilitam as comunicações, também não é menos verdade que por exemplo a moda do Farmville, significa um decréscimo na produtividade real em detrimento da produção virtual de coelhinhos, cenouras e ovelhinhas, em que adultos responsáveis e supostamente inteligentes desperdiçam horas incontáveis dos seus dias.
No entanto tudo isso é mais ou menos inócuo quando comparado com a completa falta de sensibilidade para as questões da segurança e da privacidade, que se colocam quando vemos as contas do Hi5 e do Facebook, repletas de fotografias pessoais, informações pessoais e outras informações que são um manancial de oportunidades para gente mal intencionada, que as crianças e os adolescentes não entendam essa necessidade de privacidade, até conseguimos compreender, não conseguimos entender é que adultos mais ou menos conhecedores do mundo, participem dessa alegre patetice, sem sequer questionarem por um segundo o real alcance das suas atitudes.
No artigo seguinte falaremos sobre o que se não deve fazer e porquê, para que se entenda que quando se fala de segurança e privacidade online, os principais promotores e interessados nessas questões, somos nós, os seus utilizadores.

@protejainternet

terça-feira, 11 de maio de 2010

Sítios perigosos!


Um dos problemas da utilização da Internet nos dias de hoje, centra-se na clivagem existente, entre os conhecimentos informáticos dos pais e os conhecimentos informáticos dos filhos. Num combate claramente ganho pelos últimos, cujos conhecimentos médios suplantam os conhecimentos dos progenitores, isto por si só não seria grave caso as crianças, não utilizassem esses conhecimentos para ludibriar os pais e fazerem uso de portais Web com conteúdos muito pouco aceitáveis.
Uma outra questão relacionada radica na diferença que existe entre o que os pais acham que os filhos fazem na Internet, e aquilo que os filhos verdadeiramente fazem na Internet, sendo que é um erro dizer “o meu filho ou filha nunca faria isso”, é um erro que por vezes se paga caro.
Neste âmbito entram uma série de sítios da Internet, umas boas e largas centenas senão milhares que se dedicam à pornografia recorrendo às personagens dos desenhos animados, neste capítulo há para todos os gostos, das Winx, aos Simpsons, do Scubidoo aos Estrumfes, passando pelo Pato Donald e pelo Homem Aranha e à inevitável Mangá e Hentai, é uma verdadeira praga em sinal aberto ao dispor de todos bastando um pequeno clique para abrir todo um mundo sórdido, porém apelativo aos olhos de quem se deslumbra com a bonecada e está numa idade em que o sexo desperta todas as curiosidades.
É uma situação preocupante para a qual, as autoridades parecem não ter nem querer, nem muito menos ter qualquer interesse em resolver, esta questão deveria preocupar as nossas autoridades, no entanto não existe legislação, nem muito menos qualquer directiva para impedir este tipo de conteúdos. O perigo que representam, estende-se desde logo à exposição a conteúdos impróprios, numa fase de crescimento em que o cérebro e personalidade estão em processo de estruturação, com consequentes problemas que daí podem advir, como sejam os comportamentos de adicção e obsessão como também à questão financeira, pois podem despoletar gastos substanciais em utilização de Internet.
Resta aos pais, estarem atentos e despertarem para uma realidade que por vezes lhes escapa, mais uma vez se recomenda uma atitude mais interventora junto de todos os locais onde existam acessos à Internet, escolas, hotspots, cibercafés, espaços Internet e outros, para indagar junto dos responsáveis desses locais sobre que políticas de segurança existem para prevenir e obstar a este tipo de conteúdos.
Abaixo podem ver alguns exemplos dos conteúdos absolutamente vergonhosos que estão ao dispor das crianças, e atenção porque nem sequer são dos piores exemplos!





@protejainternet

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Lei Hadopi



A França desfere a primeira machadada contra a descarga ilegal de conteúdos vídeo e músicas e a consequente violação dos direitos de autor!
Num proceso que teve o seu início em 2009, a França fez aprovar a chamada Lei Hadopi, sigla que resulta da instituição que supervisionará a sua execução, a "Alta Autoridade para a difusão de obras e protecção de direitos na Internet" em francês Haute Autorité pour la diffusion des oeuvres et la protection des droits sur Internet.
Esta lei vai responsabilizar os utilizadores, por qualquer descarga de conteúdos que viole os direitos autorais. Podemos seguramente esperar que mais tarde ou mais cedo, mais países do núcleo duro da União Europeia adoptem medidas legislativas similares, se tudo correr conforme e à semelhança de outros casos essas disposições legais serão posteriormente vertidas para a legislação europeia, devendo o Conselho Europeu fazer aprovar essa legislação, que será depois remetida aos vários estados para integrar as legislações nacionais.
Será o começo da perseguição à pirataria, a situação vai piorar para quem se dedicar aos downloads de conteúdos protegidos por direitos de autor, apertando assim a malha, numa actuação à muito reivindicada por sociedades de autores e pelas editoras musicais, de livros e pela indústria do cinema.
Mais informação aqui!
Mais informação aqui!

@protejainternet

terça-feira, 4 de maio de 2010

Actualização Adobe pode ser ameaça!

Investigadores da empresa Trend Micro, uma empresa especializada em segurança informática, detectaram recentemente uma nova ameaça virtual disfarçada de actualização da aplicação Adobe. Trata-se de uma variante de cavalo de Tróia denominada TROJ_FAYKDOBE.A.
Este malware apresenta os mesmos ícones e detalhes de uma actualização do software legítimo, o que o impede de ser descoberto pelos antivírus e por programas de análise do sistema, além disso o malware induz os utilizadores a acreditarem que é legítimo.
Assim que é executado, o TROJ_FAYKDOBE.A, faz a descarga de outros arquivos maliciosos identificados como BKDR_VBBOT.AP, BKDR_VB.JHM e BKDR_VB.JGT. O primeiro age como componente central ligando-se a servidores específicos para reconhecer os comandos de um utilizador remoto. Já o segundo é utilizado para recolher dados e encerrar determinados processos em execução. Por fim, o último serve como Proxy, para que os utilizadores remotos possam aceder aos sistemas infectados.
Aconselha-se a maior das atenções, quando solicitada a actualização da aplicação Adobe.