sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

!ALERTA! - Mensagem Fraudulenta


Esta mensagem de update gratuito para o Windows 10 é uma fraude. As hiperligações enviam os utilizadores para endereços fraudulentos que instalam malware.
!NÃO CLIQUE NOS LINKS!

@protejainternetphi

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Outubro Mês da Cibersegurança



Outubro é o mês da Cibersegurança. Não poderíamos deixar de comemorar este evento, para tal, escolhemos para assunto deste pequeno artigo, o trabalho relevante que algumas pessoas a título individual desenvolvem, nesta área tão sensível.


Apesar de existirem cada vez mais pessoas a desenvolver trabalho na área da Cibersegurança, cremos que seja de todo relevante e de justiça destacar algumas. Em primeiro Tito de Morais, o impulsionador do Projecto Miúdos Seguros na Net. Um excelente exemplo de dedicação a uma causa maior que é a segurança das crianças enquanto utilizadores das ferramentas informáticas.

O David Sopas, é outro excelente exemplo de alguém que desenvolve um trabalho de todo louvável nesta área da segurança da Internet, um trabalho profissional e dedicado, de um excelente profissional.

Por último referir também o jornalista Hernâni Carvalho, que nos seus comentários num programa da manhã na SIC, de quando em vez alerta para este tipo de questões, relacionadas com a segurança da Internet, num também muito meritório exemplo de cidadania.

São apenas três exemplos de dedicação a esta causa que consideramos importante e relevante apontar como bons sinónimos de uma sociedade civil interventora que procura o bem comum, sociedade essa onde também humildemente nos incluímos com o nosso trabalho aqui no @ProtejaInternert.

Visitar o: Projecto Miúdos Seguros na Net

Visitar a página de: David Sopas 

Visitar: Hernâni Carvalho

Actividades sobre segurança


@protejainternet

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Mais um alerta de fraude!










O exemplo que hoje publicamos foi-nos enviado há pouco por um dos nossos utilizadores a quem agradecemos. É mais um exemplo do tipo de fraudes de phishing que diáriamente circula na Internet. Mais uma vez não deve nunca clcar nos anexos que este tipo de mensagens apresenta.

@protejainternet

terça-feira, 6 de outubro de 2015

!Alerta de mensagem fraudulenta!

Mensagem de correio electrónico fraudulenta, pretensamente enviado pelos serviços do Banco Montepio, atenção nunca clicar nos links!

@protejainternet!Alerta de
 

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Fraude com as contas do Paypal!


Mais do mesmo, a campanha de mensagens fraudulentas tentando atingir os utilizadores do Paypal, continua.

@protejainternet

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

!Alerta fraude Paypal!

Mensagem de correio electrónico fraudulento supostamente enviado pelo Paypal.
@protejainternet

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Sim por um registo nacional de pedófilos






           A existência de um registo nacional de pedófilos, tem gerado uma imensa polémica, nalguns meios, onde ainda grassa uma inexplicável falta de noção de decoro e bom senso.
Não conseguimos entender, que um dos maiores flagelos da humanidade, o abuso de crianças, pareça passar pelas malhas da sociedade portuguesa sem qualquer escrutínio e pior sem o devido tratamento que lhe deve ser dado, apesar dos muitos e mediáticos casos ocorridos na última década apenas.
Em Portugal as crianças são muito mal tratadas, em especial se pensarmos que estamos num pretenso país europeu, desenvolvido e civilizado, ora nada mais longe da realidade, somos europeus apenas pela geografia, desenvolvidos tecnologicamente quanto baste e muito pouco civilizados.
A defesa das crianças deveria estar no topo das prioridades de qualquer governo, infelizmente, no caso do actual governo isso não parece sequer figurar nas prioridades quanto mais ser uma preocupação de topo.
No entanto, apesar de tímida, titubeante e com os paninhos quentes normais desta sociedade medíocre, lá apareceu alguém com coragem suficiente para fazer alguma coisa e saudemos essa iniciativa.
Apesar de no nosso entender a legislação de suporte a esta boa ideia, pecar por excesso de garantias para os criminosos, como aliás é apanágio da legislação nacional, vale mais algo, mesmo que mal feito do que nada.
Já são cerca de quatro dezenas(1), os países como iniciativas semelhantes, ou onde o processo se encontra em discussão. A Interpol dispõe de um mecanismo conhecido por “Green Notice”(2) que se destina a partihar informação sobre criminosos condenados que viajem para outros países, onde o mais provável é a continuação dos actos criminosos. Como demonstrado num estudo de 2010(3), o abuso de crianças utilizando as ferramentas da Internet, não diminui e revela antes uma tendência para aumentar.
Seria necessária uma política concertada e séria para combater o flagelo do abuso, a União europeia dispõe de uma directiva, a directiva 2011/92/EU(4), no entanto, como não existe uma verdadeira cooperação dentro da EU a este e outros níveis onde a partilha de informação sobre predadores sexuais e pedófilos seria essencial, quem saí a perder são as crianças, serão necessárias medidas mais pró activas e centradas na defesa das crianças ao invés da defesa dos criminosos como até aqui. Medidas essas que necessitam de um consenso mundial mais alargado.
A um outro nível a literacia digital, anda pelas ruas da amargura em Portugal, apesar de existirem algumas iniciativas de índole governamental, o que se faz é exíguo e pouco eficaz, seriam necessárias muitas horas de cariz informativo e formativo, fora de gabinetes com ar condicionado, a percorrer o país em escolas, municípios, associações de país e por aí adiante para despertar a consciência das populações e dotar os utilizadores de uma melhor literacia digital, infelizmente como noutras áreas vigora a política do faz de conta.
Não será preciso aduzir especiais razões para acreditar que esta é uma boa medida, basta pensar na segurança das crianças, basta pensar que estamos num país onde infelizmente as pessoas contam tão pouco.

@protejainternet


(1) Global Overview of Sex Offender Registration and Notification Systems, 2014 acedido em 15-04-15, disponível em, www.smart.gov/pdfs/GlobalOverview.pdf.


(3)Aiken, M., Moran, M., & Berry, M. J., Child abuse material and the Internet: Cyberpsychology of online child related sex offending, 2011 acedido em 14-05-15, disponível em, http://www.interpol.int/Media/Files/INTERPOL-Expertise/IGLC/Child-abuse-material-and-the-Internet.

(4) Directiva 2011/92/EU, acedido em 15-04-15, disponível em, http://eur-lex.europa.eu/legal-content/EN/TXT/?uri=CELEX:32011L0093

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Alerta de e-mail falso do Facebook!

Um dos nossos leitores enviou-nos este email que recebeu, indagando sobre a sua fiabilidade.  É claramente uma mensagem forjada, as hiperligações redireccionam o utilizador para páginas onde um software malicioso é imediatamente descarregado para o computador do utilizador.

! Não clique nunca nas ligações deste tipo de mensagens!

@protejainternet

sexta-feira, 27 de março de 2015

Fake email alert!


An example of bogus email, intendend to lurk clients of the Bank Of America. Be very cautious, and do not open any attachment such emails contain.

If you receive a suspicious email that uses Bank of America’s name, forward it to: abuse@bankofamerica.com

@protejainternet

segunda-feira, 2 de março de 2015

Fake Google notification email!


Fake Google notification email! Do not download the attachments !

@protejainternet

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Fake paypal notification email!


To learn more check the Paypal site advice page!
Para saber mais visita a página do Paypal!


@protejainternet

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Black Hat – O Segredo real da guerra escondida!





 Fonte da imagem: http://cinema.sapo.pt/filme/blackhat

Está nos cinemas um filme, estreou a 22 de Janeiro, que tem passado relativamente despercebido ao comum dos cidadãos, chama-se “Blackhat: Ameaça na Rede”, a história é muito simples, um recluso em liberdade condicional, em conjunto com amigos que estão em vários pontos do globo, vai iniciar a perseguição a uma rede organizada de cibercrime.
E porque trazemos hoje este tema? Porque a película em causa, não é ficção científica, nem um policial de pacotilha, daqueles que Holywood nos serve a contente para gáudio das plateias de trituradores de pipocas.
Não, “Blackhat: Ameaça na Rede”, é uma descrição muito, mesmo muito real, daquilo que se passa todos os dias no mundo cibernético e que mais de noventa por cento dos cidadãos não sabe, não quer saber ou pura e simplesmente se está nas tintas, e fazem mal.
Mas comecemos pelo início, o que é isto de Blackhat? Ser um “hacker” não é necessariamente, ser-se criminoso. Partindo desta premissa verdadeira, existem classificações mais ou menos aceites para designar o “modus operandi” de um “hacker”, baseando-nos na utilização que o mesmo faz dos seus conhecimentos informáticos.
Um “Blackhat” é um tipo de pirata informático que utiliza os seus conhecimentos para aceder ilegitimamente a um computador para obter ganhos pessoais, como roubar números de cartão de crédito ou recolher dados pessoais para a venda aos criminosos que se dedicam ao roubo de identidade, ou também por pura maldade, desejo de vingança ou qualquer outro desejo ilícito, que configura um crime.
 O “Blackhat” encaixa-se no estereótipo generalizado pela comunicação social, segundo o qual os “hackers” são criminosos que exercem actividades ilegais para ganho pessoal e atacando os outros, são por outras palavras cibercriminosos, o que não anda longe da verdade, no que ao “Blackhat” concerne, por exemplo se um “Blackhat” encontrar uma qualquer vulnerabilidade de segurança num software, num hardware ou num sistema informático, ele irá seguramente vender essa informação a organizações criminosas no mercado negro ou usar essa descoberta para comprometer sistemas informáticos e ganhar com isso.
O “Whitehat”, é o oposto do Blackhat. É um especialista em comprometer e testar os sistemas de segurança informáticos, utiliza os seus conhecimentos para o bem, regendo-se por princípios éticos e morais bem definidos.
Por exemplo, o “Whitehat”, é muitas vezes contratado para testar sistemas de segurança de computadores. Uma qualquer instituição pública e ou privada, autoriza-o a tentar comprometer os seus sistemas, para tal o “Whitehat” irá utilizar os mesmos métodos e ferramentas de um “Blackhat”, o modo de proceder é que é diferente, pois o “Whitehat”, se encontrar uma vulnerabilidade de segurança irá enviar um relatório ao programador, que irá corrigir o seu produto e melhorar a segurança antes que seja comprometida.
O “Grayhat” é um tipo de “hacker” cujas acções o colocam entre o “Blackhat”, e o “Whitehat”. Por norma não age para em função do ganho pessoal ou para causar problemas, mas pode tecnicamente cometer crimes e ou cometer acções eticamente questionáveis.
Por exemplo, “Grayhat” pode tentar comprometer um sistema de computador sem para isso receber autorização, informando de seguida a instituição, permitindo-lhes corrigir o problema. Apesar do “Grayhat” não utilizar o acesso para fins criminosos, ao comprometer o sistema sem permissão, ele incorreu num crime.
Por vezes o “Grayhat” descobre uma falha de segurança num software ou num site, e divulga a falha publicamente em vez de alertar a instituição e ou empresa responsável, dando-lhes desse modo tempo para corrigir os erros. Sendo alguém cujo comportamento é por vezes benéfico, e outras tantas, prejudicial, o “Grayhat”, deve ser alvo de muita atenção.
Existem ainda mais três definições que importa conhecer, o “Redhat”, é por norma um “Whitehat”, que está ao serviço de uma qualquer agência governamental, civil e ou militar cujo objectivo é invadir os sistemas informáticos de outros governos com o objectivo de os danificar e ou efectuar espionagem.
O “Bluehat” é um tipo de pirata informático que executa “hacks” essencialmente por dois motivos, para se divertir ou para se vingar de uma determinada pessoa ou empresa que possa ter irritado. O “Greenhat” é um nome que se atribui aos aprendizes de pirata informático, por norma são miúdos alguns com idade inferior a 14 anos, que estão apenas a começar a praticar hacking.
Voltando ao início, a película “Blackhat: Ameaça na Rede”, como já dissemos não é ficção científica, está muito bem construído em termos daquilo que é a realidade de um ataque informático. Sobre aquilo que é necessário para efectuar esse tipo de ataques, sem mistificações demasiado “Hollywoodescas”, sobre essa perspectiva é um excelente documentário sobre aquilo que se passa no mundo cibernético. Altamente recomendável a sua visualização, para que nos apercebamos dos perigos, cada vez mais reais que afectam um mundo altamente tecnológico e informatizado.

@protejainternet

Dia da Internet Segura!


@protejainternet

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Bullying, mental illness related!

 

Study reveals pattern of mental illness in children who bully, points to need for new perspective

Relação entre o bullying e os disturbios mentais, observada em estudo de universidade americana.

Information here!

Mais informação aqui!


@protejainternet

sábado, 31 de janeiro de 2015

Ransomware



National cyber security and specialist centre CyberSecurity Malaysia is alerting the public on “Ransomware,” a malware that infects computers and restricts access to the system until a ransom is paid to unlock it.
Source.http://www.thestar.com.


More information here!

@protejainternet